Projeto leva alunos da rede municipal para conhecerem pontos históricos de Taboão

Estudantes da EMEF Maria Alice Borges Ghion participaram do Projeto Conhecendo Minha Cidade

Charles Eliseu

Alunos da EMEF Maria Alice Borges Ghion fizeram um tour por Taboão da Serra através do Projeto Conhecendo Minha Cidade

Por Charles Eliseu

Taboão da Serra valoriza a história de seu povo. Pensando nisso, a Secretaria de Educação criou o Projeto Conhecendo Minha Cidade, que leva os alunos da rede municipal de ensino para conhecer pontos históricos do município, com o objetivo de avaliar as mudanças e permanências destes locais.

Nos dias 12, 20 e 21 de junho, os alunos da EMEF Maria Alice Borges Ghion, dos quartos e quintos anos, foram conhecer a Praça do Samba, no Jardim Maria Rosa; a Praça Nicola Vivilechio, no centro; a divisa de Taboão da Serra com São Paulo; o Morro do Cristo, no Jardim Pazini e o Parque das Hortênsias.

De acordo com o secretário de Educação, professor João Medeiros, o projeto é um desdobramento do livro “Taboão da Serra: Profundas Raízes”, lançado em agosto de 2017. “Foi um trabalho árduo, porém gratificante, nós termos lançado este livro, que traz de forma muito rica a história do povo taboanense. E o projeto de levar os nossos alunos nos pontos históricos de Taboão foi um desdobramento do livro. É importante as crianças conhecerem e estudarem a cidade, pois elas também já são construtoras da nossa história”, disse o secretário.

Além disso, segundo as professoras e coordenadoras do projeto, Silvia Maria de Souza e Marlene Maria das Neves Pereira, antes das saídas pelos pontos da cidade, os alunos têm estudado em sala de aula o livro “Taboão da Serra: Profundas Raízes”. Elas explicaram também que o projeto ocorre, por enquanto, na EMEF Maria Alice Borges Ghion, mas que, possivelmente, será ampliado para outras escolas.

Para a aluna do 5º ano, Ana Clara Satoria, de 11 anos, a experiência foi muito válida. “Achei interessante a gente conseguir saber as origens da cidade. Não conhecia a Praça do Samba e nem o Morro do Cristo, por exemplo”, contou.

Arthur Ramos dos Santos, de 10 anos, também aprovou a atividade. “Eu também não conhecia alguns desses locais. Gostei muito de poder adquirir um conhecimento maior do meu município”, relatou o estudante.

Fonte: O Taboanense