Alunos da rede pública de Taboão da Serra participam de Olimpíada com ajuda de aplicativo que gera imagens em 3D

 

materia taboao 1050x770

 

Durante a preparação para as provas, os estudantes contaram com aulas diferenciadas, graças a um aplicativo que permite visualizar imagens em 3D

 

Neste ano, alunos de oito escolas da rede municipal de Taboão da Serra ganharam um reforço e tanto para se preparar para a Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA). A novidade é um aplicativo que gera imagens em 3D e que permite conhecer o Sistema Solar por meio da realidade aumentada, deixando todos bem próximos de planetas, estrelas e satélites. O recurso tornou as aulas ainda mais interativas e diferenciadas e os alunos ficaram craques nos temas relacionados às provas da OBA, que aconteceram no final de maio.

 

As imagens em 3D causaram euforia e deu o que falar nas escolas. “É muito bacana ver o universo daquele jeito. É uma sensação nova, diferente. Usei pela primeira vez e pude olhar os planetas bem de pertinho. Foi incrível!”, contou o aluno Fernando, da EMEF Ana Mafalda Barbosa de Carvalho.

 

O aplicativo é o Malhando a Cachola, desenvolvido pela empresa Planneta – parceira da Secretaria de Educação, Ciência e Tecnologia – com o objetivo de apresentar imagens em 3D dos planetas, do sol e da lua. Após a visualização, junto com as informações dos planetas, os alunos foram convidados a participar de um desafio com perguntas relacionadas às características que foram apresentadas; tudo de uma forma lúdica e interativa.“

 

O aplicativo fez toda a diferença na preparação dos alunos. Eles ficaram super empolgados, pois a realidade aumentada permite uma mistura entre o mundo virtual e o real. Acreditamos que os estudantes participantes tenham ido muito bem nas provas da Olimpíada”, comenta Elaine Malaspina, Coordenadora de Informática Educacional da Planneta.

 

Este é o quinto ano que os alunos de Taboão da Serra participam da Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica. Eles já fizeram a prova de conhecimentos, que é a primeira fase do concurso. Agora virão as etapas de correção das provas, recebimento do certificado de participação e entrega de medalhas aos que se destacaram na competição. No ano passado, foram conquistadas 191 medalhas nesta competição, que é realizada anualmente pela Sociedade Astronômica Brasileira (SAB), em parceria com a Agência Espacial Brasileira (AEB). A Olimpíada é aberta à participação de alunos de escolas públicas ou privadas de todo o país e tem como objetivo despertar o interesse dos estudantes em Astronomia, Astronáutica e Ciências e promover a divulgação de conhecimentos básicos de uma forma lúdica.

 

Por meio do programa “Informática Educacional”, os alunos participantes da Olimpíada puderam aprimorar seus conhecimentos. As atividades seguiram uma sequência lógica e gradual de assuntos, levando a Astronomia e a Astronáutica para o cotidiano das crianças de forma interativa, com a ajuda de recursos tecnológicos – projetor, notebooks, tablets e aplicativos.

 

 

Fonte: Escola Guilherme Miller